Artigos

Conheça os problemas mais comuns que ocorrem em um radiador e saiba preveni-los

Especialista da empresa Petroplus aponta os quatro sinais que podem indicar que um sistema de arrefecimento de um veículo está com funcionamento irregular

Na manutenção preventiva de veículos, as pessoas costumam se preocupar principalmente com a troca de óleo e filtros, a checagem de desgastes de pneus e as pastilhas de freio. Porém, há um item muito importante que muitas vezes fica fora da atenção do consumidor: o sistema de arrefecimento.

O motor aquece muito em virtude das explosões da queima do combustível, sendo o sistema de arrefecimento responsável por manter o veículo a uma temperatura ideal de funcionamento, sempre na faixa dos 88 a 90º Celsius. Com isso, sua função é manter o motor resfriado o suficiente para que as peças não superaqueçam e se deteriorem com o calor, porém sem deixá-lo frio demais, pois isso aumenta o trabalho do motor e, consequentemente, o consumo de combustível.

O sistema de arrefecimento é composto por mangueiras, radiador, ventoinha, bomba d’água, vaso de expansão, válvula termostática e, para sua proteção e funcionamento, deve ser adicionado um liquido de arrefecimento. Dessa forma, é uma das partes mais importantes do motor e, se apresenta funcionamento irregular, pode gerar problemas sérios e prejuízos altos para os motoristas.

Quando um sistema de arrefecimento opera inadequadamente é provável que ações preventivas não tenham sido aplicadas e os sinais de desgaste das peças não foram notados. De acordo com a Petroplus, fabricante da linha de fluídos de arrefecimento da marca Celsius, tão essencial quanto uma troca regular de óleo, é checar se o fluído dentro do radiador está no nível recomendado pelo fabricante. Caso esteja um pouco abaixo da marcação interna da peça, a sugestão da empresa é completar com um aditivo de arrefecimento na mesma cor original usada pelo fabricante do veículo.

Porém, se mesmo após a aplicação de fluído voltar a baixar, é imprescindível dirigir-se até uma concessionária ou centro automotivo para verificar o que está acontecendo. “Completar o fluído do radiador com muita frequência, pode mascarar alguns problemas. É aceitável que um motor perca, por exemplo, uma média de até 50 ml de fluído a cada 5 mil quilômetros rodados. Mais do que essa perda significa que o sistema de arrefecimento apresenta algum vazamento”, esclarece Silvio França, supervisor de P&D da Petroplus.

Veja a seguir alguns dos problemas mais comuns causados pelo funcionamento irregular do sistema de arrefecimento do motor de um veículo:

  1. Superaquecimento do motor – É aquela situação em que as pessoas popularmente dizem que o “motor ferveu”. Uma boa medida preventiva neste caso é acompanhar possíveis alterações no medidor de temperatura no painel interno no veículo. Se o motorista ouvir a ventoinha do carro ligando com muita frequência por muito tempo, também pode ser um sintoma de problema. Um nível baixo de fluido de arrefecimento é provavelmente uma das causas mais comuns de superaquecimento. O fluido de arrefecimento é necessário para manter o funcionamento do motor do carro dentro de temperaturas normais. Para isso, é imprescindível usar a proporção de aditivo na água desmineralizada corretamente, e jamaiscolocar apenas água pura no reservatório de líquido de arrefecimento. Para evitar dúvidas, a melhor saída é utilizar as soluções arrefecedoras, pois essas já vem diluídas nas proporções corretas e protegem adequadamente o motor do veículo.
  1. Oxidação de peças de arrefecimento – Entre as várias funcionalidades do fluído de arrefecimento a principal é a prevenção de ferrugem de peças como a bomba d’agua. Quando o aditivo em uso possui mais de dois anos de uso, pode perder suas propriedades antioxidantes que protegem o motor contra o processo de corrosão por ferrugem ou corrosão por cavitação, isto é, bolhas que podem gerar a corrosão das peças metálicas do sistema, entre elas, o radiador, dificultando a refrigeração e o funcionamento correto do motor. Acompanhar a temperatura do veículo também é uma boa prevenção neste caso.
  1. Alto consumo de combustível – Quando o motor de um veículo trabalha em uma temperatura irregular, é comum que ocorra um consumo de combustível acima da média. Por isso, é muito importante que o motorista calcule periodicamente quantos quilômetros seu veículo está fazendo a cada litro de combustível e compare esse resultado com a recomendação do fabricante. Qualquer alteração precisa ser averiguada e o sistema de arrefecimento pode ser um dos responsáveis.
  1. Vazamento de fluído de arrefecimento – Entre radiador, bomba d’agua, válvula termostática, principais peças do sistema de arrefecimento, há mangueiras que conduzem a circulação do fluído. Por circular em altas temperaturas, com o tempo podem ocorrer ressecamentos desgastes nessas mangueiras e assim pequenos vazamentos podem surgir. Dessa forma, pode acontecer a redução do fluído do radiador. Vale observar que grandes vazamentos, quando desapercebidos, também podem danificar o funcionamento do bloco, da junta e do cabeçote do motor, peças de elevado custo de reposição.

Por fim, o especialista Silvio França, da Petroplus, ressalta que ao observar qualquer uma das alterações acima, os proprietários dos veículos devem procurar um profissional especializado em concessionárias e oficinas mecânicas para que um diagnóstico completo do sistema de arrefecimento seja realizado, para uma eventual substituição de peças, limpeza do sistema de arrefecimento utilizando um limpa radiador e a aplicação correta de solução de arrefecimento.

Sobre o autor

Magazine Automotiva

Magazine Automotiva

Comentários no Facebook

Publicidade

Curta nossa página