Artigos

Vai comprar uma moto usada? Veja alguns cuidados que deve ter para evitar problemas no futuro!

Os preços das motos zero-quilômetro podem ser bem altos, especialmente para alguns modelos mais recentes. Por isso mesmo, uma alternativa usada por muitos brasileiros é comprar uma moto usada ou seminova.

Se você está pensando em comprar uma moto usada, saiba que é preciso ter alguns cuidados antes de fechar o negócio, evitando, assim, problemas no futuro.

 Tais cuidados estão relacionados à documentação, ao bom estado de conservação e, também, aos procedimentos para regularizar a situação da moto no DETRAN.

Pode parecer muita coisa para se pensar, mas não é tão difícil quanto parece e comprar uma moto usada pode ser um excelente negócio.

Veja os cuidados que separei neste artigo e atente-se a eles. Com isso, a segurança na sua compra será muito maior! Boa leitura!

Quais cuidados devo ter ao comprar uma moto usada?

Fiz uma lista com cuidados que considero essenciais para comprar uma moto usada sem problemas. Vejamos:

1. Consulte o histórico da sua moto através do RENAVAM

O RENAVAM – Registro Nacional de Veículos Automotores – é um banco de dados no qual estão cadastradas informações importantíssimas sobre o veículo.

Com esse número e o número da Placa, você pode entrar no site do DETRAN do seu estado e verificar o histórico da sua moto, identificando:

– se há restrições judiciais, débitos em aberto (como multas) e sinistros

– se a moto é regular ou se foi roubada/furtada

– ano de fabricação, chassi e características originais da sua moto

2. Faça uma revisão com um mecânico de confiança

Antes de comprar a moto, você tem o direito de fazer uma revisão e se inteirar das suas reais condições de funcionamento.

Principalmente se você não tem um amplo conhecimento em mecânica, o olhar de um especialista, em uma revisão minuciosa, certamente trará detalhes importantes para que você decida ou não pela compra da moto usada.

3. Não confie somente do hodômetro

Hodômetros (medidores de quilometragem) podem ser alterados para que a moto pareça muito menos rodada do que é.

Por isso, além de conferir o que diz o hodômetro, busque por sinais visuais que indiquem um desgaste em pedais e guidão. Se existirem esses sinais, desconfie.

4. Faça um test-drive

Antes de concretizar a compra, você pode pedir ao vendedor um test drive, ou seja, que você conduza a moto para ver alguns detalhes, como o alinhamento, bom funcionamento e até mesmo se ela é compatível com as suas expectativas.

Se algo o incomodar, busque outra moto que atenda melhor aos seus anseios e necessidades.

5. Tenha muito cuidado com falsificações

A venda dos famosos “veículos clonados” infelizmente é uma realidade e acontece com uma frequência maior do que imaginamos. Por isso, cheque o número do chassi, identificando se ele é o mesmo no documento e no que está gravado na moto.

Também se atente para que a placa, a cor e outras características de fábrica sejam as constantes no CRV.

O que fazer depois de comprar a moto?

Se você já teve todos os cuidados dos quais falamos no tópico anterior e decidiu pela compra da moto, saiba que serão necessários alguns passos para regularizar a documentação do veículo. Esses passos são os seguintes:

1. Assinar o Recibo de Compra e Venda

No verso do CRV dos veículos, há um espaço destinado para o Recibo de Compra e Venda. Tal recibo deve ser totalmente preenchido, informando dados como: o RG e CPF do comprador, o valor pelo qual a moto está sendo comprada, o endereço do comprador e a data na qual está sendo firmado o Recibo.

Depois disso, as assinaturas – do comprador e do vendedor – devem ser reconhecidas no cartório.

E se o vendedor não tiver mais o CRV? Em casos de perda ou extravio do CRV, é possível solicitar uma segunda via.

O que não se pode é deixar de preencher o recibo de compra e venda, já que ele é um requisito para o passo seguinte.

2. Realizar a Transferência de Propriedade

O passo seguinte é a transferência da propriedade da moto, gerando um novo CRV – agora com os dados do comprador e atual proprietário.

Essa ação deve ser feita por você, comprador, em um prazo de até 30 dias, contados desde a assinatura do Recibo de Compra e Venda.

Além da cópia autenticada desse Recibo, será preciso apresentar o laudo da vistoria (feita pelo DETRAN), o CRLV em dia, uma certidão negativa de furto e, ainda, um comprovante de quitação de débitos para demonstrar que não há pendências, como multas ou impostos em aberto.

Ao passar por todo esse processo, a sua moto estará com os documentos em dia (e em seu nome). Dessa forma, você evita problemas, como multas por trafegar com veículos sem o licenciamento e o registro regularizados.  

Uma dica importante é saber onde investir para comprar sua moto!

Fale com a gente!

Se tiver alguma outra dúvida sobre esse assunto ou sobre qualquer outro tema ligado às leis de trânsito, não deixe de contar com a ajuda da equipe de especialistas Doutor Multas. Nós podemos ajudá-lo a resolver as suas questões.

Sobre o autor

Magazine Automotiva

Magazine Automotiva

Comentários no Facebook

Publicidade

Curta nossa página